cinco vezes russ meyer

Pela primeira vez dedicam uma mostra de fôlego ao cinema de Russ Meyer: Rio de Janeiro e São Paulo terão o prazer de ver quase todos seus filmes no CCBB. Meyer é um cineasta que comecei a gostar antes mesmo de gostar de cinema. Como muitos dessa época, poderia não resistir ao enriquecimento do repertório. Normal, a gente começa a ver mais coisas e percebe que alguns ídolos não são tão geniais assim. Mas Russ Meyer permaneceu forte, até hoje está entre meus favoritos. Difícil escolher cinco momentos, mas acredito que seu universo particular esteja bem representado com as cinco obras abaixo.

O começo de tudo. Em O Imoral Sr. Teas (1959) as mulheres são coadjuvantes, raridade em se tratando de Russ Meyer. Talvez o cinesta tenha percebido que não adiatava dedicar o protagonismo de seus filmes aos homens abobalhados. O filme inteiro é centrado em Bill Teas, pacato vendedor de dentaduras que começa a ter alucinações com mulheres nuas. Daqui em diante, as mulheres tomariam as rédeas. Irregular, mas curioso e levemente surreal – com a narração à la desenho animado.

No filme mais cultuado de Meyer, as mulheres já estão no comando. Faster Pussycat Kill Kill! (1966) é realmente a sua melhor obra, a mais afinada pelo menos. Tura Satana comanda uma gangue de dançarinas que, atrás de dinheiro, sentam a mão em todo mundo. É a redenção das mulheres, já que em filmes anteriores da fase preto e branco – Lorna (1964) e Mudhoney (1965) especialmente – elas sofrem o diabo.

De Volta ao Vale das Bonecas (1969) é meu filme favorito de Russ Meyer. Escrito em parceria com Roger Ebert, a obra é, na verdade, uma grande gargalhada. Ainda mais se lembrarmos que se trata de um filme para a Fox. Russ Meyer arrombou a porta. O mote é a história da banda de garotas The Carrie Nations. Há de tudo, canções memoráveis, participação do Strawberry Alarm Clock, as questões raciais, as drogas, lesbianismo, sadomasoquismo, aborto, nazismo, assassinato. E um personagem marcante: Ronnie Z-Man Barzell, produtor freak que promete aos inimigos o esperma negro de sua vingança. Quem leu o Mate-me Por Favor se recorda: Iggy Pop implicava com John Cale, produtor do primeiro dos Stooges, chamando-o de Z-Man.

Nos anos 1970 Russ Meyer ainda fez Up! (1976), excentricidade que aborda o assassinato de um sósia gay sadomasoquista de Hitler e traz no elenco nomes clássicos do universo Meyer como Kitten Natividad e Raven de La Croix. Mas Supervixens (1975) é imbatível. A erótica e violentíssima cena do fotograma é a melhor de sua filmografia. Com a morte da donzela, as suspeitas recaem sobre seu marido, que acaba escapando por pequenas cidades sulistas. Em cada uma, encontra uma mulher mais libidinosa que a outra, as tais supervixens. Dessa forma Meyer lança um olhar poderoso a diversos aspectos culturais norte-americanos.

Além do Vale das Ultra-Vixens

O surrealismo à la Meyer chega ao topo em Além do Vale das Ultra-Vixens (1979), seu derradeiro filme nos anos 70. É uma verdadeira radiografia, sempre tendendo ao absurdo, da vida nas cidades pequenas do sul norte-americano. O gancho é a relação entre um homem que só se satisfaz através do sexo anal e sua insatisfeita esposa. É o canto dos cisnes de um modo muito particular de fazer cinema erótico. A indústria do cinema pornô tomou conta desse filão, filmes como os de Russ Meyer perderam o espaço. De qualquer forma, não consigo ver suas obras estimulando sexualmente os espectadores. Além do rigor estético, é tudo tão escrachado, os personagens são vistos com uma acidez tão grande. Fica claro que Meyer quis, através do sexo exagerado, colocar em pauta diversas particularidades do cidadão interiorano dos Estados Unidos. É um dos cineastas que melhor retratou a vida das cidades pequenas.

Anúncios

2 respostas em “cinco vezes russ meyer

  1. Vi apenas De Volta ao Vale das Bonecas, mas só tenho a elogiar Russ Meyer. O filme é muito bom, um ícone dos anos 60.. e a antológica cena de decaptação com o fundo musical da Fox, é absolutamente genial.

  2. Obrigado pelas dicas! O site é muito bom. Vou procurar saber mais sobre Russ Meyer vendo os filmes que ele fez.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s