broadcast – discografia

Aproveitando a temática da Czech New Wave, faço aqui a discografia comentada do Broadcast, banda inglesa que começou na década de 90 e se consolidou nos anos 2000 como uma das mais interessantes da música contemporânea. Funciona tanto para os saudosos da psicodelia sixtie, quanto para os sedentos pelos sons modernosos. E o que tem a ver com o cinema tchecoslovaco? É que a canção Valerie, do disco Haha Sound, foi inspirada no maravilhoso filme Valerie & Her Week of Wonders, de Jaromil Jireš.

Work and Non-Work Work and No-Work (1997)  4.5

Uma coletânea de singles que tem cara de disco oficial, todas as músicas conversam entre si. As melodias bonitas e os arranjos hipnóticos fazem jus à escola de rock psicodélico da Inglaterra e a grande referência da banda: o sensacional combo eletro-psicodélico sessentista The United States of America. Tudo com o clima etéreo e, o mais importante, sem soar mofado. Top: Accidentals, The Book Lovers e We’ve Got Time

the noise made by people The Noise Made By People (2000) 5

Obra-prima, perfeito da primeira à última música. Aqui o Broadcast investe nas ambientações e nas pesquisas sonoras, fazendo a cama para a voz cristalina de Trish Keenan. Canções fortes e viajantes, bons refrões e instrumental cheio de detalhes dissonantes. Considero The Noise Made By People o melhor disco da década. Top: Come On Let’s Go, Papercuts, Echo’s Answer

haha sound Haha Sound (2003) 4

É um disco mais pop que o anterior. Começa bem, com momentos dançantes e melodias grudentas, mas perde o fôlego no decorrer das quatorze músicas. Se fosse um LP, seria o caso de dizer que o lado A é ótimo e o B é meia boca. Top: Before We Begin, Man Is Not a Bird, Colour Me In

tender buttons Tender Buttons (2005) 2meia estrelas

Não consigo gostar desse disco. Aqui os timbres   eletrônicos encheram a banheira, todo o lirismo característico da banda foi perdido. É um disco menos humano, mais reto. Pra completar, as melodias não são tão inspiradas. O resultado final é repetitivo e duro. Mas há quem goste bastante.  Top: I Found The F, Black Cat, Tears in The Typing Pool

future crayon Future Crayon (2007) 3meia estrelas

É outra coletânea de singles e músicas avulsas. Ao contrário de Work and Non-Work, não funciona tão bem. É um disco que carece de identidade. De qualquer forma, é interessante porque aqui o Broadcast mostra todas as suas facetas, desde o instrumental eletrônico, as belas canções, os arranjos psicodélicos… Top: Distant Call, Poem of Dead Song e Illumination

Anúncios

Uma resposta em “broadcast – discografia

  1. eu gosto de tender buttons porque é o nome de um dos meus livros preferidos! hehe…mas enfim, eu quero saber o que vc achou do album novo!!!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s